Hora Luterana

Personagens da Reforma

Personagens da Reforma

 

 

Katharina Von Bora – foi uma freira católica, tendo no entanto casado com Martinho Lutero em 13 de Junho de 1525.

Felipe Melanchton – 1497 a 1560 – Nasceu em Bretten, Alemanha. Erudito em grego, latim e hebraico. Foi professor de grego na Universidade de Wittenberg. Foi ali que ele conheceu Lutero. Foi o autor e compilador da Confissão de Augsburgo, um dos principais documentos confessionais luteranos.

Frederico, o Sábio – 1463 a 1525 – Frederico III, também conhecido como Frederico, o sábio, era o príncipe da Saxônia. Ele tinha em alta conta o seu professor Martinho Lutero. Estava decidido a dar a Lutero um julgamento justo, o que não aconteceria se os seus inimigos conseguissem pôr as mãos nele. Assim sendo, Frederico, engenhosamente, tornou ineficazes todas as tentativas de retirar Lutero de sob sua proteção. Por essa época, Frederico podia desobedecer tanto o papa como o imperador, porque os turcos estavam entrando na Europa, e o papa precisaria da ajuda de todos os príncipes cristãos para combatê-los. Foi graças a um pedido de Frederico, o sábio, que Lutero foi julgado na Alemanha e não em Roma. Frederico foi um grande defensor de Lutero e dos ensinos da Reforma. Foi o braço forte que garantiu a sobrevivência de Lutero e, em conseqüência, a expansão da Reforma Luterana.

Os Príncipes eleitores
No Sacro Império Romano-Germânico, os príncipes-eleitores tinham a função de eleger o Rei da Alemanha, em preparação para a sua ascenção como novo imperador, apesar de na prática até ao século 12 eles terem apenas formalizado aquilo que era na verdade uma sucessão dinástica. Desde o século 13 até ao fim do império em 1806, os eleitores foram escolhidos de entre os mais importantes donos das terras do império. Num documento conhecido como a Bula Dourada (1356) o seu estatuto foi regulamentado pelo imperador Carlos IV, que os reconheceu como governadores quase-independentes dentro dos seus territórios.

Johann von Staupitz – Vigário da ordem augustina, era o guia espiritual de Lutero – A seu respeito, Lutero disse certa vez: “Se não fosso o Dr. Staupitz, eu estaria no inferno.